Por que as TV’s de luxo são acessíveis enquanto a saúde básica não?

Imagina isto. Você está se sentindo mal de saúde. Você pega seu smartphone e clica em um aplicativo. Um enfermeiro chega em 20 minutos em sua casa. Ele faz um exame de sangue e recomenda a um médico que prescreva um tratamento. Ele é enviado para a farmácia no final da rua, que o entrega à sua porta em 20 minutos. O evento inteiro custa $ 20.

Soa maluco? Não muito. Não se os cuidados de saúde fossem uma indústria competitiva. Como é, os preços dos cuidados médicos subiram 105% nos últimos 20 anos. Isso contrasta com o setor de TV, que está vendendo produtos que caíram 96% no mesmo período.

Dê uma olhada neste gráfico montado pela AEI. Revela dois pontos importantes. Primeiro, não existe um nível de preço agregado, ou melhor, o que chamamos de nível de preço é uma ficção estatística. Em segundo lugar, mostra que as indústrias competitivas oferecem bens e serviços que estão caindo de preço devido à pressão do mercado. Em contraste, as indústrias monopolizadas podem extrair rendas cada vez maiores das pessoas com base na restrição.

Considere cada produto ou serviço mostrado. A faculdade é fortemente subsidiada, regulada e excludente, e os custos estão aumentando. A indústria de livros didáticos é prejudicada pela regulamentação extrema dos direitos autorais e pode depender de compradores cativos. O cuidado infantil é uma das indústrias mais regulamentadas do país. Não apenas qualquer um pode entrar. Todos os aspectos da prestação de cuidados infantis são controlados pelo estado.

Por outro lado, software, serviço sem fio, brinquedos e TVs existem em configurações de mercado relativamente mais livres. A pressão do preço está baixa.

Não é tão complicado, pessoal. Se você deseja bons serviços, bons produtos, ideias inovadoras e preços baixos, precisa de mercados competitivos.Isso também vale para o setor de saúde. Quanto mais você controla, maiores os preços e piores os resultados.

Richard N. Lorenc é Vice-Presidente Executivo da FEE e é diretor administrativo do projeto de Pesquisa e Audiência Juvenil da FEE (“YEAR”) para desenvolver e promover novas técnicas de distribuição e conteúdo para idéias de livre mercado.

Via Fee.org

Por que as TV’s de luxo são acessíveis enquanto a saúde básica não?
5 (100%) 1 vote[s]